DestinosInglaterraLondres

Onde se hospedar em Londres?

Imagem da avenida Regents Street em Londres

Em qualquer cidade que eu visite, sempre preciso ter em mente o que eu estou buscando, qual meu objetivo por lá. E nisso entram diversos questionamentos:

  • Eu quero fazer tudo a pé sem depender de transporte público?
  • Eu prefiro estar próxima à natureza e isso talvez implique em ficar mais afastada do centro da cidade?
  • Ou então, quero ficar nesse bairro, pois adoro bares e vida noturna agitada. Logo, não me importo que para todos as outras atrações eu dependa de transporte público.
  • Ou ainda, se hospedar no bairro mais central é caríssimo e por isso, preciso ficar em uma região um pouco mais afastada?

Enfim, acho que já dá para ter uma ideia de que, o local que escolhemos para a hospedagem, depende totalmente do que queremos, do que buscamos e do nosso estilo e realidade naquela viagem. Uma vez que existem viagens que podemos e estamos propensas a gastar mais, já outras que devem ser econômicas, isso reflete fortemente na viagem em si, desde onde iremos nos hospedar, até o tipo de passeio que faremos, o modo com que nos alimentaremos, etc.

Mas então, a dúvida é: Onde se hospedar em Londres? Em uma cidade gigante como Londres, opções não faltam no momento de escolher um hotel, hostel ou até mesmo apartamento e/ou quarto para alugar durante a sua estadia. Importante ressaltar que a hospedagem em Londres talvez concentre o seu maior gasto na viagem. Realmente não é barato, mas existem muitas alternativas para serem avaliadas.

Portanto, nesse post, eu apresento de um modo geral os principais bairros que, para mim, são os mais interessantes para fixar o seu pouso na capital inglesa.

South Kensington

South Kensington é perfeito para quem quer estar próximo aos museus, pois ali se encontram: o Victoria & Albert Museum, o Natural History Museum e o Science Museum. Por sinal, falei deles nesse post aqui, vale dar uma conferida.

Além de museus e galerias, a região de South Kensington, fica próxima a Knightsbridge, onde está localizada a tradicional loja de departamentos Harrods. O bairro ainda é próximo ao Kensington Gardens e ao Hyde Park, ficando ao sul desses dois parques.

Monumento à Rainha Victoria
Kensington Gardens (divulgação/Royal Parks)

O chique bairro de Chelsea também fica pertinho dali. E lá está a famosagaleria de arte Saatchi Gallery. Nessa região, você encontra desde restaurantes mais sofisticados, até lanchonetes de redes internacionais. No entanto, a hospedagem em South Kensington tem um preço bem elevado – e, sinto lhe informar, que Londres, como um todo, tem um custo alto de hospedagem, logo, esteja acostumado com isso.

South Kensington é ideal para quem procura hotéis luxuosos, ou hotéis boutique e que estejam muito bem localizados, próximos a parques, lojas, restaurantes e pontos turísticos. E para isso, que não se preocupem com o preço a pagar por tais características.

Bayswater e Queensway

Essa é uma das regiões que eu mais gosto de ficar em Londres. Acho ela prática, sabe? Sem frescuras. Perto de tudo, você pode andar a pé pelo bairro, e de lá ir até o centro se quiser. Por outro lado, ela é muito bem servida de transporte público, como ônibus e metrô.

Bayswater e Queensway são grudadas ao Kensington Gardens e consequentemente ao Hyde Park. São próximas também de Notting Hill. Há uma diversidade de comércio por lá, como supermercados, farmácias, lojinhas, pubs, restaurantes e até mesmo um shopping, o Whiteleys. No quesito hospedagem, possui uma ótima oferta de hotéis e apartamentos para alugar.

O que eu gosto de lá é que, mesmo estando bem localizado, já que em um pulo você está em Portobelo Road, por exemplo, você ainda tem a experiência de andar com tranquilidade pelo bairro e dar de cara com aquelas casinhas típicas inglesas. Foi em Bayswater que eu comi uma das melhores pizzas da minha vida! Juro. É o Italian Pizza Connection. Pra ser bem sincera, nem sei se o lugar está aberto ainda, pois a última vez que fui lá, faz um tempo já. Mas era muito bom! Todo mundo falando em italiano, um lugar ultra familiar, pequeno e acolhedor. Já a pizza era gigante e deliciosa! E o preço, justo.

Soho

Se hospedar no Soho significa ficar rodeado de gente quase o tempo todo! Por se tratar de uma região super central de Londres, ele está praticamente do lado de Picadilly Circus e de Covent Garden, é multidão o dia inteiro.

Típico bar lotado de gente no Soho em Londres
Um típico pub repleto de gente no Soho (Tomek Baginski/Unsplash)

Por outro lado, o Soho é vizinho dos teatros da região, e, assistir a um espetáculo ou musical será fácil. Além disso, no Soho (como em vários outros bairros de Londres) se faz tudo a pé. Para se ter ideia, uma caminhada até o British Museum leva em torno de 15 minutos – e ele nem está no mesmo bairro. A Trafalgar Square está distante um pouco mais de 10 minutos andando. E, se você quiser conhecer o Big Ben, de metrô, leva-se apenas 9 minutos.

Apesar de ser uma região de custos elevados, há um hostel bem conhecido por lá, o Sohostel, com preços acessíveis para o parâmetro londrino. No Soho, durante o dia, você estará cercado de atrações a curtas distâncias, e, à noite, o lugar é repleto de bares, restaurantes, além dos tradicionais pubs. O Soho também é distrito LGBTQ+ , com diversas atrações para o público e simpatizantes.

Bar no Soho em Londres
Bar no Soho (Jon Cellier/Unsplash)

Shoreditch

A região de Shoreditch está em East London (ou na zona leste). É o reduto da cena artística, alternativa e mais moderninha da cidade. Muitas galerias de arte, brechós, mercados e feirinhas de final de semana acontecem por lá. É uma zona multicultural e com uma energia vibrante – ok, na verdade, toda Londres é assim 🙂

O bairro fica super agitado aos finais de semana, que é quando os bares próximos a Brick Lane transbordam de gente. As feiras de rua e os brechós ficam mais movimentados nesses dias também.

Não fique em Shoreditch se o que você busca é a clássica e tradicional Londres. Você não encontrará isso por lá, nada das casinhas que você se depara em Notting Hill ou Bayswater, por exemplo. Se você curte culinária indiana, uma opção é conhecer os restaurantes especializados nesse tempero que ficam em Brick Lane, as famosas Curry Houses. Nessa rua se encontra um dos brechós mais famosos de Londres, o Vintage Market. Aliás, eu falei mais sobre a região de East London e suas atrações, nesse post aqui.

Prédio grafitado em Shoreditch, Londres
Prédio em Shoreditch (Rick Barrett/Unsplash)

Apesar de tudo isso, não pense que Shoreditch é uma região super barata para se hospedar. Muito pelo contrário, lá, você encontra de hotéis 5 estrelas à hotéis design, com uma decoração diferenciada e única. Todos claro, no padrão Londres de preços por noite. Em contrapartida, há boas opções de apartamentos para alugar nessa região – pelo site do Airbnb.

Camden Town

Camden Town é outra área mais alternativa de Londres, porém bem mais movimentada que East London. O bairro fica ao norte de Londres e é lá que acontece o tradicional Camden Market t-o-d-o final de semana! Por esse motivo a região fica explodindo de turistas nesses dias.

o Stables Market em Camden Town, Londres
O Stables Market em Camden Town

Em Camden Town você encontra muita diversidade de estilos, pessoas vestindo o que bem entendem, com o cabelo na cor que quiserem e piercings onde você nem imagina. Isso tudo faz parte de Camden e ajuda a criar essa atmosfera tão única de lá. É o bairro onde a cantora Amy Winehouse morou durante sua curta vida.

A cena noturna é forte por lá. Bares que tocam música ao vivo, como jazz, são comuns. Festas e boates também são populares em Camden Town. Mas não é somente isso que o bairro oferece. Se você curte natureza e passear ao ar livre, uma ida ao Regent’s Park é uma boa pedida, assim como uma volta por Little Venice e até mesmo a visita ao London Zoo pode ser uma possibilidade.

Imagem de Camden Town em Londres
O burburinho de Camden Town (Javier Martinez/Unsplash)

Não há tanta oferta de hotéis em Camden Town como em outras áreas da cidade. E vale atentar para não ficar tão afastado das ruas principais e mais movimentadas do bairro.

Notting Hill

Confesso que Notting Hill é um dos meus queridinhos. Adoro o charme da região, sua energia, as lojas vintage que estão lá, as feiras, caminhar sem rumo, encontrando as milhares de casinhas coloridas, umas ao lado das outras… No entanto, não dá para negar que a fama mundial do bairro se deu por conta do filme Um lugar chamado Notting Hill de 1999 que se passa por lá. Curiosamente, isso se tornou um ponto negativo, se você conversar com os locais. Pois eles afirmam que depois do filme, o movimento de Notting Hill ficou muito intenso.

Fachada The Notting Hill Bookshop - Londres
A fachada da livraria The Notting Hill Bookshop (Norali Nayla/Unsplash)

Quer saber outras atrações para visitar em Notthing Hill?  Clique aqui e confira! Nesse post, mostro outros lugares a serem visitados em Notting Hill, além dos pontos exibidos no filme Hollywoodiano.


Para mim, Notting Hill continua sendo um charme. Lá acontece a Portobelo Road Market, uma feira ao livre com foco em antiguidades, comidas, roupas de segunda mão e outros tantos objetos. Ela funciona diariamente, mas é no sábado que todas as banquinhas estão abertas e o lugar fica realmente bem agitado.

É em Notting Hill também que se realiza o Carnaval londrino. Anualmente, no final de agosto, a população toma as ruas da região por dois dias e festeja com muita bebida e música ao vivo. Eu tive a experiência de vivenciar o Notting Hill Carnival e me diverti muito por lá. É considerado o maior evento de rua da Europa, com mais de 1,5 milhão de participantes!

Proximidades das estações de trem

Se você tem um período curto em Londres, como uma noite só, ou se você chega e vai embora da cidade por alguma das estações trem, pode ser uma boa ideia se hospedar em suas proximidades. As estações abaixo são super centrais e próximas a vários pontos interessantes da cidade. E ainda por cima, junto à cada uma delas, estão as estações de metrô de mesmo nome. Tornando muito prático, o deslocamento pela capital.

As principais estações são King’s Cross, Paddington e Victoria que além de fazerem conexão com outras cidades e países (este é o caso da King’s Cross), possuem parceria com os aeroportos de Londres, te levando e buscando a partir deles.

Imagem da estação Kings Cross em Londres
Estação Kings Cross (Michal Parzuchowski/Unsplash)

Nessas regiões há opções de hotéis de redes e com preços mais em conta, caso você tenha um orçamento justo. São exemplos desses hotéis: Easy Hotel e Premier Inn. O Easy Hotel, por exemplo, tem seus quartos bem apertados. Fica a dica.

Mas, cuide que, por serem áreas super comerciais, muitas delas ficam vazias à noite. Atenção para isso.

Por fim, um recadinho pra você…

Já decidiu onde se hospedar em Londres? Espero ter te ajudado.

Resumindo, na minha opinião, qualquer um desses bairros listados acima são bons para se hospedar. Em Londres, é importante ter duas coisas em mente: A primeira, sempre procure por uma plaquinha escrito “Underground“. Sério, o metrô é um mundo à parte, estando em qualquer estação, você sempre vai conseguir voltar pra “casa”, não se preocupe. E a segunda, você está em Londres!! Uma cidade cosmopolita, multicultural, onde tudo acontece, é realmente muito difícil que você se dê mal, sinceramente. Você não está no meio do nada, muito pelo contrário, pra mim, Londres é o centro de tudo. Então relaxe e curta muito o seu tempo por lá.

Para mais ideias do que fazer em Londres, dê uma olhada nesses posts. Eu falo sobre lugares diferenciados da capital inglesa.

Deixe um comentário: